Arquivos

Novembro 2012

Dezembro 2011

Janeiro 2011

Novembro 2010

Abril 2010

Março 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Março 2007

Twitter Feed


follow davidfonseca at http://twitter.com
Segunda-feira, 22 de Setembro de 2008

M is for Melody

 

Roy Lichtenstein, "The Melody Haunts My Reverie", 1965

 

Há três objectos que me acompanham sempre que saio de casa, independentemente do destino ou do tempo que vou demorar fora das 4 paredes: o meu telemóvel, uma máquina fotográfica e um leitor de MP3. Pensando bem nisso, não são os objectos mais essenciais para a sobrevivência no exterior (talvez o telemóvel seja o mais aproximado), mas tenho conseguido manter-me à tona desta forma durante anos. Gostaria de mostrar-vos algumas das imagens dos últimos meses mas, como referi num post mais abaixo, não uso uma máquina digital há algum tempo (a não ser a do telemóvel e que não conta como máquina fotográfica...ainda!). Quer isto dizer que o processo de revelação, scanner e afins está ainda a desenvolver-se de forma lenta e cuidada. E que saudades tinha da fotografia não-instantânea!

 

Por esta razão, gostaria de partilhar com vocês as surpresas que me tem revelado o outro objecto (e ponho o telemóvel de fora desta equação, acho que toda a gente já tem um e fazem todos mais ou menos a mesma coisa...). A caminho do concerto dentro da carrinha, às compras no supermercado, na sala de espera do consultório médico, a espreitar pela janela de  um quarto de hotel, o leitor de MP3 é uma das maravilhas desta década, especialmente a melómanos ensandecidos como eu. Nos últimos meses tenho ouvido dezenas de discos novos e antigos, uns apenas de passagem, outros até à exaustão. E, pelo meio, descobri algumas pérolas.

 

 

 

Benji Hughes é uma personagem estranha. A capa do disco é fabulosa e a música dele soma elementos estranhos e díspares. Um bocadinho de Beck, uma pitada de Eels, um jogador de bowling dos anos 80 e um madeireiro texano com algumas cervejas a mais, acho que é o suficiente para fazer da música deste senhor um verdadeiro desafio. Do humor ao amor, ele corre tudo com um (des)encanto raro nos dias que correm. Rotação máxima para este clássico instantâneo na discografia Fonsequina.

 

 

A senhora Ladyhawke é intrigante. Aos primeiros acordes pensa-se imediatamente que este disco é alvo de uma reedição dos anos 80 e dificilmente feito no ano de 2008. As influências vão desde Stevie Nicks a Cindy Lauper, de Blondie a Laura Branigan (sim, a senhora responsável por um dos temas mais azeiteiros da história) e, em vez de se camuflarem por baixo de uma toada mais actual, revelam-se na sua forma original. Os sons, os tiques, as melodias incríveis e as malhas mais impossíveis (boas e más), está tudo aqui. A pergunta que se impõe: porque faz esta senhora um disco tão colado a tanta coisa que já foi feita? A minha resposta é: o que me interessa isso se de cada vez que o ponho a tocar agarro logo a minha air guitar e faço solos invisíveis fabulosos? Play it loud Miss Ladyhawke!

davidfonseca às 03:12
link
40 comentários:
De Daniela Rodrigues a 13 de Fevereiro de 2009 às 15:58
esta imagem está na parede duma discoteca da minha territa : )
De glesdon a 26 de Outubro de 2008 às 16:53
Parece ser bom. @>@
De Cherry a 25 de Outubro de 2008 às 20:18
desculpa este comentário n ter nada a ver com o teu post. mas precisav de escrever que és o MAIOR por ires à recepção ao caloiro da covilhã!!!
De maria a 24 de Outubro de 2008 às 21:17
ahah :D depois de vários pedidos de uma possivel vinda a Castelo Branco, vens à covilha, que é pertinho vá.

lá estarei (:
De Luana Carvalho a 23 de Outubro de 2008 às 23:06
David, sou sua fã, amo suas músicas, elas fazem parte de muitos momentos bons na minha vida, principalmente "Kiss me".
Gostaria de perguntar se faz parte dos teus planos aparecer no Rio de Janeiro por esses tempos? Adoraria ter o prazer de conhecer vc pessoalmente!
Um beijo bem carinhoso na ponta do seu sorriso!
Fica com Deus!
De Mj a 23 de Outubro de 2008 às 22:18
Can't believe that finally you're playing in Spain. I'll be right there, singing along.
Thanks :)
De Ricardo Silva a 23 de Outubro de 2008 às 15:45
Caro David:

Quero dar-te os parabéns pela tua música, pela atmosfera dos teus concertos, pelo teu percurso pós-"Silence 4" e pela "frescura" ;-) deste blog.

Gosto imenso de te ouvir, e as minhas filhas (4 e 8 anos :-) já me seguem as pisadas ;-)
(Têm bom gosto, 'tá visto :-)

Não sei por onde andas agora, mas se andares na estrada e te quiseres rir um bocadinho, gostava de te convidar a ler o novo ebook "radical" :-) que lancei recentemente em:

www.QueroVoar.pt

É a minha forma de te retribuir com um sorriso aquilo que sinto ao ouvir as tuas músicas.

É para mim uma honra se o conseguires ler, e me deres a tua opinião no blog (ou via email para Blog.QueroVoar@gmail.com ).

Um grande abraço com amizade,
Ricardo Silva
Autor do novo ebook "Quero Voar!" disponível para download em:

www.QueroVoar.pt
De Susana Lino a 20 de Outubro de 2008 às 22:15
Já tenho saudades tuas David!
Ver se passas cá pela zona de Lisboa para nos encantares com as tuas músicas =)
Beijinho grande*
De Marta Pragosa a 19 de Outubro de 2008 às 19:17
Olá,
Venho por este meio congratular-te pelo Prémio recebido recentemente pela RFM como os Melhores Espectáculos ao Vivo! Fico contente por si e ainda mais por ter conseguido estar em dois, apenas dois, concertos seus.
Parabéns! :)

Aguardo por um novo albúm, ou novas versões. :D
De mysunshinemyrain a 18 de Outubro de 2008 às 14:33
E a grécia?

Comentar post