Arquivos

Novembro 2012

Dezembro 2011

Janeiro 2011

Novembro 2010

Abril 2010

Março 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Março 2007

Twitter Feed


follow davidfonseca at http://twitter.com
Sexta-feira, 26 de Junho de 2009

Michael

 

"Thriller" foi o primeiro disco que tive. Sei-o de trás para a frente e, tal como os milhões de fãs nos anos 80, imitava os seus passos de dança da melhor forma que conseguia. Voltei a ouvir o disco recentemente e não envelheceu um único acorde, permanecendo genial e resistente à desfiguração do seu criador, cada vez mais estranho e desligado do mundo real.

 

A sensação que fica é algo triste, uma estrela que já foi "bigger than life" desaparecer num momento de declínio tão obscuro. Que o seu passado recente não faça esquecer a genialidade do homem que, em muitos sentidos, revolucionou a indústria musical como poucos conseguiram fazer.

 

Em várias ocasiões, cantei a canção "Billie Jean" em palco, mas este senhor deu-lhe uma vida própria. Aqui fica uma versão apropriada para o momento:

 

davidfonseca às 06:29
link
33 comentários:
De Dylan a 20 de Julho de 2009 às 16:19
Uma criança num corpo de um adulto. Era assim Michael Jackson. A sua candura contrastava com a atitude arrebatadora que exibia em palco, uma espécie de predestinado com um talento invulgar e que enfeitiçava todas as gerações. A educação rígida traçou-lhe o futuro mas sonegou-lhe a infância, enquanto o seu direito de viver recatado era ameaçado à medida que os holofotes da fama acompanhavam o seu crescimento. Pulverizou recordes de vendas mas também era o primeiro a dizer presente às causas humanitárias onde terá doado milhões de dólares. A sua timidez, e porque não dizer a sua extravagância, originavam todos os tipos de rumores, nunca provados.
Goste-se ou não do estilo, revolucionou o mundo do entretenimento artístico e musical impulsionando de vez o respeito e o reconhecimento pela cultura negra.


De Fernanda Rios a 11 de Julho de 2009 às 19:02
Como sempre você acertou David! Primeiro por escrever uma mensagem positiva em relação ao Michael e depois por postar um vídeo de meu conterrêneo Caetano, que nunca visto.
Desejo a você muita sorte e sucesso com o novo trabalho e continuarei a te acompanhar (seja por aqui ou pelo twitter) e mostrar tuas músicas para meus amigos.

Abraços.
@fernandarios
De sónia bártolo a 5 de Julho de 2009 às 01:58
Esta é realmente uma das belas subversões de Billie Jean e a passagem para Eleanor Rugby quase fazem desta actuação uma homenagem a Michael.
Também dancei muito ao som das suas músicas... RIP
bj
De nelajoplin a 1 de Julho de 2009 às 00:25
Que magnífico Tributo a Michael Jackson! Concordo e subscrevo, inteiramente, as suas palavras sobre o genial músico/compositor. E que espantosa versão de Billie Jean, por outro genial músico/compositor, Caetano Veloso. Com 1 cheirinho de Eleanor Rigby, dos Beatles. E nessa mistura de conceitos, prenúncio da vida de Jackson ("...who claims that I am the one, but the kid is not my son" com "aah, look at all the lonely people"). He claims to be the kids'father / He was actually a lonely man... But his memory and work will last forever... Já agora, para o Tributo Português ser perfeito, resta-nos esperar que o David queira incluír, no seu próximo álbum, uma versão de Billie Jean ou de outro tema de Jackson. Seria, por certo, outro GREAT, GREAT SUCCESS, as the previous ones! Thanks in advance, NJOPLIN
De carina a 29 de Junho de 2009 às 17:27
Não foi o primeiro disco que comprei, mas o "Thriller" estava nas colecções de discos dos primos mais velhos e por isso fartei-me de o ouvir ( mais só o Ziggy).
Neste últimos dias fomos confrontados não só com o legado de um extraordinário artista, mas sobretudo com a atormentada pessoa.
Chegar a tal degradação não acontece por acaso. Fico sempre com a sensação que M.J. foi abandonado por quem mais devia acompanhá-lo, a família. Afinal ele era o ganha-pão de toda aquela a gente. Terá havido alguém com vontade, coragem e amor suficiente para dizer "enough is enough"?

As excêntricidades foram óbviamente alimentadas por muita gente. Muitos ganharam muito á custa das maluqueiras. E o dinheiro paga tudo...a quem quiser vender...a ética por exemplo.
Será que algum cirurgião plástico em vez de o colocar na mesa operatória o mandou para o divã do psiquiatra?
Causa-me uma enorme perturbação ver uma tão evidente desfiguração. E não estou a falar daquele desastroso "nose job", mas antes da (evidente) vontade de se negar a si próprio. Ninguém muda de cor! Isso quase parece a quintessência do racismo!

Quanto aos escândalos que envolviam crianças...enfim uma pessoa tão perturbada e ausente da realidade pode efectivamente feito algo que para a maioria de nós possa ser condenável. Mas por outro lado, torço (literalmente) o nariz quando se conhece que foram feitos acordos extra-judiciais por valores astronómicos! O abuso de alguém, nomeadamente de uma criança é um assunto demasiado sério, doloroso e com repercussões na vida dificeis de imaginar! E quais são os pais que preferem dinheiro a ver o culpado na prisão? É que 10 milhões de dólares revelam uma intensa "batalha" entre advogados...

Eu espero que agora se volte a olhar para M.J como um fenómeno que foi. Alguém que entendeu antes de todos o que deveria ser um espectáculo pop ( Madonna aprendeu bem e depressa), um músico cheio de ideias e com uma voz rara...em vez do freak de serviço...porque desconfio que era assim que muitos o viam...
De Miguel a 2 de Julho de 2009 às 02:05
"Ninguém muda de cor! Isso quase parece a quintessência do racismo!"

Infelizmente essa parte do comentário é pura desinformação.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Vitiligo
Não devemos falar levianamente do que não conhecemos.
De carina a 5 de Julho de 2009 às 00:02
Sem dúvida!
Não devemos falar do que desconhecemos.
Não dúvido que MJ poderia ter vitiligo. E, por já ter visto alguns casos da doença (em nada semelhantes, diga-se.)noto que a pele apresenta manchas de descoloração, mas nunca vi uma manifestação da doença tão uniforme e abrangente. A evolução destas situações é gradual e seria normal vermos a sua pele manchada até que ficaria completamente descolorada. Não me choca pensar que pode ter acelarado o processo para evitar o desagradável facto de ter uma pele com zonas de coloração diferente. Ele mesmo afirmou que o acne lhe causou um enorme sofrimento.
Com ou sem medidas extraordinárias - e tenho dúvidas que esta transformação se deva exclusivamente ao processo patológico, até porque um dos tratamentos poderá ser a total despigmentação da pele em casos muito graves. Com muitos riscos claro - o seu comportamento não deixa de revelar uma certa negação de si. Ele que era um homem negro de 50 anos surgiu como um garoto branquinho com um nariz afilado e face ossuda...e que fez questão de ter filhos brancos. A pessoa pode ter uma doença, mas a matriz genética tb não muda de cor.
O meu ( hiperbólico)comentário serviu só para acentuar esta ideia de estarmos perante alguém em profundo sofrimento...e solidão. Talvez maior do que nós poderemos alguma vez experimentar.
De qualquer forma agradeço a simpatia de ter enviado o link da wikipédia, mas falei com algum conhecimento. Se calhar menor que o seu...mas com algum.
Carina
De Ana a 14 de Fevereiro de 2010 às 03:01
Bem pessoal, para quem não está dentro do assunto... procurem um pouco mais sobre vitiligo e seus métodos de tratamento ou atenuação dos sintomas... e vão encontrar que a única coisa a fazer nesta doença, é uma descoloração total das células da epiderme, de modo a que a cor da pele fique uniforme. Isto é, se não se quiser ficar às manchas, tipo Dálmata. E, pelo menos para mim, é óbvio q MJ não ia aparecer em público cheio d manchas. Tal como ele, acho que a grande maioria das pessoas faria isso. Esta foi a única maneira de amenizar os sintomas da doença, pois ele não ia passar o resto da sua vida a colocar todos os dias toneladas de maquilhagem para disfarçar as manchas.

Quanto às acusações de pedofilia, pelo menos 2 dos rapazes que o acusaram vieram dizer publicamente que tinham sido os pais a obriga-los para poderem extorquir dinheiro. E um dos pais desses rapazes acabou por se suicidar alguns dias após a morte de Michael Jackson. Mas isso a imprensa não mostra, bem como, por exemplo, ele ser a celebridade que mais dinheiro doou a pessoas desfavorecidas.

Mas enfim, acho que não é esse "tabloid junk" que deve ser mencionado, mas sim, a genialidade que ia dentro deste homem. Como se pode comprovar pelos albúns vendidos, pelo público nas suas turnés e por todos os records estabelecidos e batidos por ele próprio constantemente.

R.I.P. Michael*
De Amarino França a 27 de Junho de 2009 às 18:46
Realmente, o senhor Caetano Veloso fez uma cover e pêras deste hit. Aconselho também a versão do Chris Cornell: muito boa.
Não aprecio muito as músicas de Michael Jackson, embora saiba admitir que o mesmo tem álbuns de grande qualidade, nomeadamente o Thriller.
Portanto, RIP Michael Jackson.
De Amarino França a 27 de Junho de 2009 às 18:46
Realmente, o senhor Caetano Veloso fez uma cover e pêras deste hit. Aconselho também a versão do Chris Cornell: muito boa.
Não aprecio muito as músicas de Michael Jackson, embora saiba admitir que o mesmo tem álbuns de grande qualidade, nomeadamente o Thriller.
Portanto, RIP Michael Jackson.
De mzocha a 27 de Junho de 2009 às 15:56
Eu não existia ainda quando o "thriller" foi lançado, mas lembro-me de, ainda pequena,mais ou menos quando o "bad" foi lançado, ver o meu irmão a tentar imitar um homem que andava de meias brancas e calças pretas e curtas... eu achava muito estranho, e por mais que o meu irmão insistisse para que eu o ouvisse, só o tempo me fez gostar cada vez mais desse "homem das meias brancas" e perceber quão único ele é!E digo "é", e não "foi", porque ele nunca será passado!
Ah! e já agora, força ai David para o novo álbum! Estmos prontos para mais uma boa surpresa!
Ah e a cover da Billie Jean do Caetano é fantástica, eu já a conhecia, mas nunca é demais ouvi-la...outro homem fantástico!...
De Irina a 27 de Junho de 2009 às 13:51
De todas as homenagens que já vi e li, julgo ser esta a mais bonita, simples e directa...
Efectivamente, o mundo da música ficou mais pobre...
O "bigger than life" desapareceu num momento demasiado obscuro para a marca que deixou no Mundo de todos nós...
Parabéns pela homenagem e pela música escolhida, de mais um Senhor da Música.
De Rui Mak a 27 de Junho de 2009 às 12:21
Grande Michael, mudou o mundo para melhor, espero que seja lembrado por ser o rei do pop, e um dos melhores performers de sempre, e nao por outras opçoes da vida dele ou alegados escandalos que calham sempre quando se é famoso.

E grande David, que mais uma vez conseguiu surpreender pela positiva, com tal tributo. Entre tantas más linguas que tenho ouvido, é bom ver que ainda ha apreciantes da arte pela arte.
Estas te a isolar no topo do meu rank de idolos David.

Comentar post