Arquivos

Novembro 2012

Dezembro 2011

Janeiro 2011

Novembro 2010

Abril 2010

Março 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Março 2007

Twitter Feed


follow davidfonseca at http://twitter.com
Quinta-feira, 31 de Dezembro de 2009

10 Before 2010

Tenho fobia a listas de melhores e piores, mas esta altura é dada a balanços e, sem qualquer ordem ou ideia de pódio, aqui ficam 10 canções que abanaram a minha estrutura interior em 2009. Há muitas mais de onde estas vieram, mas dez parece-me um número razoável para fazer brilharete ao lado do novo ano.

 

Bill Calahan, “Too Many Birds” - por mais que a ouça, parece-me nova e luminosa a cada audição. E devem ter sido umas centenas de vezes, mas estou certo que hão-de chegar às milhares lá para 2012.

 

 

Fanfarlo, “I’m a Pilot” – a canção que abre um dos meus discos preferidos para caminhar de headphones em qualquer lado do mundo.

 

 

Bat For Lashes, “Daniel” - “when I first saw you I knew that you had a flame in your heart”, e fiquei hipnotizado. Ouvi mais vezes esta versão remisturada do que a original, manias do vinil.

 

 

Wilco, “Everlasting Everything” – uma das mais perfeitas canções do ano com um desvario de guitarra nos segundos finais que fez mais estragos que qualquer feeling dos Black Eyed Peas.

 

 

The Dodos, “Fables” - porque é literalmente irresistível.

 

 

Lavender Diamond, “You Broke My Heart” – primeiro horrorizou-me, depois estranhou-se e depois...bem, depois ficou a tocar ad eternum.

 

 

M. Ashraf feat. Ahmed Rushdi, “Dama Dam Mast Qalandar” – inserido na maravilhosa colectânea “The Sound of Wonder”, uma explosão de pop paquistanês. Não me convidem para festas que não tenham este disco porque eu não vou.

 

 

M Ward feat Lucinda Williams, “Oh Lonesome Me” – na madrugada depois da festa onde a música anterior passou, a flutuar pelos quartos da casa.

 

 

Girls, “Lust For Life” – e não, não é uma versão do Iggy, é só uma das mais frescas canções dos últimos anos, da garagem para o mundo.

 

 

We Are Terrorists, “Ground Zero” – se há canção que me tire do sério, esta é uma delas. Para rebentar colunas e tremer ossos em qualquer altura da próxima década.

 

 

E nenhuma lista estaria completa sem mais esta canção, um extra. Neste ano, nos passados e nos futuros, porque a Nina é eterna.

 

 

Um grande 2010 para todos vocês!

davidfonseca às 03:57
link
15 comentários:
De gatinhafofa a 24 de Maio de 2010 às 09:51
detesto todas estas musicas mas confesso que a do daniel é um bocadinho interessante!!
De Jea a 24 de Janeiro de 2010 às 18:57
Para quando uma versão tua do "Too many birds"?
De Jea a 22 de Janeiro de 2010 às 22:29
Para quando uma versão tua do Too many birds?
De José Miguel a 21 de Janeiro de 2010 às 23:07
Qué selección tan buena, son canciones bellísimas. Gracias, no sólo eres un magnífico músico, también son excelentes tus recomendaciones musicales. Gracias.
De Ediney Santana a 8 de Janeiro de 2010 às 21:58
eu também não suporto listas, mas gostei aqui das suas
De jonasnuts a 4 de Janeiro de 2010 às 20:23
Este post está em destaque na Homepage do SAPO, tab "Música".
De lucia david a 4 de Janeiro de 2010 às 17:07
Today…back to english…back to the dictionary…
I would like to talk about two words VOLUME and CONTEMPLATE
Volume - 1 - the magnitude of the three-dimentional space enclosed within or occupied by something
3- loudness of sound
Contemplate – 1- to think deeply about
2- to consider as a possibility
3- to look at throughfully
4 - to mediate
For me, music (yours included), can not be listened to, can only be comtemplated, sensed and regarded like any other work of art. It needs to surround me physically, to get it’s true volume. It needs given time.
My favorite next song and vídeo-clip of all your work is Someone That Cannot Love.
PS - What´s the story about ALASKA travel guide?
LD
De Ana Gomes a 3 de Janeiro de 2010 às 16:19
Pareceu-me realmente justo que o Nilton fizesse uma brincadeira destas (não fosse ele o menino que trouxe a Portugal o "Amo você"). Pareceu-me realmente engraçado ouvir pela voz de Mónica Sintra(que não é, de todo, uma das minhas preferidas) e cantada em português a tão famosa "Oh kiss me". Lancei-me,destinada a ouvi-la. Assim que comecei "Então quando a luta acabar", pareceu-me uma frase bonita com uma voz pouco dotada, mas ainda assim uma frase bonita. Á medida que a música ia sendo cantada com umas melodias trocadas e notas acrescentadas, vi-me sentada ao computador a dizer "Eu ouço música pimba em ingles??". E depois percebi, algumas palavras adulteradas e outras que nem lá estavam fizeram da letra (a tradução) palavras que se tornaram mais pirosas que poéticas e assim fiquei "Afinal, parece-me que eu ouço música de qualidade e que esta senhora não fez um bom cover desta!".
Decidi então ouvir a "After all there was another". E comecei a ouvir, e era bonita. Que espanto, era bonita! Incrivelmente voltei a acalmar-me e a pensar "Eu ouço música pimba??", pareceu-me incrível. Então ouvi a versão original (que aparentemente nunca tinha ouvido, e apenas a cantara num dvd de karaoke) e era tão "sem sal", desprovida de acordes e consonâncias originais... Uma melodia contínua e sem grande criatividade. Realmente, ( e agora dirigida a si, David) é um cantor e compositor brilhante, e a voz grave (que pessoalmente gosto bastante e considero uma das melhores portuguesas) ajuda realmente para uma mais completa e harmoniosa sucessão de temas
surpreendentes.

Deliciou-me... Parabéns.
De lúcia david a 3 de Janeiro de 2010 às 12:08
Isto não é um comentário é uma história...continuação – (peço desculpa pelo impensado paralelismo com os Gato Fedorento)
Nota - Como este blog é um espaço de David Fonseca, apesar de qualquer comentário ser público, é a ti David que dirijo os meus comentários/stories…
Não sou anónima, chamo-me Lúcia David, vivi em Londres como disse e durante todo o tempo senti algo muito próximo de exílio…não político, não forçado, mas um natural displacement em relação à language/culture que me rodeava.
O som da língua inglesa durante muito tempo era apenas ruído de fundo, não descodificável…até ao dia em que comecei a pensar e sonhar em inglês … demorou talvez 3 anos a acontecer…nesse momento foi o português que passou a ruído de fundo confundível com línguas da Europa de Leste.
A transformação cerebral mais drástica que se operou foi a capacidade automática de ao ouvir uma música cantada em inglês, ser impossível não ouvir (ler mentalmente) as letras das canções… de repente todas as músicas dos 80 que tinha dançado vezes sem conta, tomaram outro significado, foi possível aí distinguir o “trigo do joio”. Este comentário vem a propósito da tua interpretação/tradução da canção da Mónica Sintra… a música “pimba” portuguesa é a POP anglo-saxónica em arranjos musicais básicos…as letras são do mesmo tipo (de que a minha amiga Sharon denominava de) “I Iove you, you love me” daí a tua manipulação ser muito mais que uma brincadeira musical de fim de programa, não é laughable (e não posso deixar de incluir a definição do Collins Dictionary - adj. ridículous because so obviously inadquate or unsuccessful) é mesmo muito séria. Esta é assim, a minha segunda favorita de todo o teu trabalho…
Mais uma vez, thanks for existing as such a good artist. LD
De Anónimo a 2 de Janeiro de 2010 às 15:52
Isto não é um comentário é uma história...
I lived in London for 6 and a half years..came back in June 2003...on TV one afternoon there was a videoclip of some guy that roared inside my chest and made my heart jump...cramps in the stomac... and I asked my brother...who the hell is this David Fonseca...is he Portuguese? and he said... - É --- é de Leiria daquele grupo dos amigos da Guida(é a minha irmâ mais nova)...aqueles...os Silence 4... and I responded - ... não sei...não me lembro...talvez tenha visto um dos amigos da Guida
uma vez...não sei...
Desde esse dia que o Clip "The 80's" continua a ser o meu favorito de sempre...de todos...
Maybe was the lyrics, or the posture/performance, the attitude...or something else...desde esse momento eu gostaria de poder sentar numa mesa de café e conversar com este David Fonseca which works and music have been embedded in my art work since I got the first CD...every time I need to focus...or to get inspired...or to keep going...I listen through David Fonseca songs...I don´t know...it´s silly...but true... thanks for existing David. LD

Comentar post